quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Pois é, há amores e amores. E depois há amores que nunca se esquecem, mesmo...!

A propósito da mensagem anterior, é verdade, sim, que a música pode funcionar como terapia para desgostos amorosos! Seja para nos reanimar a alma, depois desta ter sido atirada, por alguém, a quem mais do que, muitas vezes, queremos mais do que a nós próprios, bem para o fundo do poço, seja para nós afogarmos as nossas mágoas. 
 
A música tem essa capacidade inigualável de nos mudar e moldar o estado de espírito e a disposição emocional. A verdade é que já existem indícios científicos evidentes de que os ritmos e sons podem alterar as batidas do nosso coração, o nosso fluxo sanguíneo e consequentemente nosso estado de ânimo. Enquanto estamos a ouvir uma música as suas ondas sonoras (vibrações) alcançam, não só os tímpanos, como, também , o corpo todo e são transformadas em substâncias químicas e impulsos nervosos que vão registando nas nossas mentes os diferentes tipos de som que estamos a ouvir. Assim sendo, todas as funções de nosso organismo são influenciadas.
 
Ciência à parte, todos nós temos uma ou várias músicas com as quais não nos podemos deixar de emocionar, que nos causam um alvoroço interior ou um tumulto no corpo e no cérebro, por nos fazer lembrar alguém por quem estivemos, ou, porventura, estamos, ainda, terrivelmente apaixonados. São sensações só nossos, é verdade. Mas, com uma energia e intensidade tão fortes que são bem capazes de transformar o nosso estado emocional e, consequentemente, de todos aqueles que estão ao nosso lado. Para o bem, ou para o mal...
 
Estas são duas músicas que fazem parte do meu repertório emocional. Penso que cada uma delas fala por si mesma...
 




Pois é, há amores e amores. E depois há amores que nunca se esquecem, mesmo...!

8 comentários:

Katie disse...

Identifiquei-me muito com este post!
E teria muito para dizer, a música, ahh a música tem capacidades incapazes de descrever, só conseguimos sentir!
Estas músicas são lindas!
:-))

MJ With Love disse...

Tens toda a razão no que dizes. Eu associo muito as músicas a momentos. E há músicas que me emocionam, outras que me deixam muito alegre, ... Impossível viver sem música!

xx

Andreia Sofia disse...

Eu gosto tanto de Queen.
Deves estar ansiosa para a passagem de ano, eu já estou aha
Sigo, beijinho*

S* disse...

Há músicas que vou sempre associar a certas pessoas.

A Gaja disse...

Essa música dos Queen tem impacto. É grandioso ele dizer a alguém que é o amor da sua vida, não é qualquer coisa!
Eu tenho imensas músicas de eleição neste departamento, acho que até são essas mesmas que ouço diariamente, mas gosto porque me dão emoção e eu gosto de sentir que estou muito viva.

Ainda bem que voltaste, também dois anos depois:)

O Sexo e a Idade disse...

Love of my life é o meu hino!

Miss_body-of-proof disse...

Amo as duas músicas...
Apelam mesmo aos sentimentos...

Parabéns pelo blog, não conhecia e gostei muito...

Beijinhos,
Tixa

Anónimo disse...

Há amores que não se esquecem, mesmo que passem décadas. São aqueles baseados em pilaresfortes de cumplicidade, companheirismo, amizade, compreensão, desejo, carinho, e muito mais. Não se esquecem e à medida que os anos passam só se fortalecem e ganham certezas